quarta-feira, 8 de outubro de 2008

A Ironia do Amor


"Enquanto a vida vai e vem
Você procura achar alguém
Que um dia possa lhe dizer
-Quero ficar só com você
Quem inventou o amor?"

música: Antes das Seis - Legião Urbana

Eu me emociono quando vejo um filme de amor, e saio da sala de cinema quase flutuando se o filme tem um final feliz. Mesmo em um filme de amor com final trágico saio com o coração lavado. Também adoro uma história de amor. Sempre que algum amigo começa um relacionamento novo, é aquela empolgação. Quero saber tudo. Como se conheceram, quem começou a conversa, quem pagou a conta, quem voltou a telefonar primeiro, a frequência de encontros, a primeira vez que foram para a cama, se foi bom...sim, eu quero saber mesmo tudo! Depois do "frisson" inicial, que é sempre bom, vem a calmaria e a assassina da rotina. E é aí que pode tudo ir para o torto ou... se tornar um verdadeiro relacionamento. Se tudo continuar bem, apesar da calmaria e da rotina, bingo! Acertaram em cheio e cada um conseguiu encontrar a pessoa que amam e que aguentam incondicionalmente. Se não deu certo, é sempre aquele filme. Tristeza...desespero,ciúmes...desespero,depressão...desespero. Até que cansamos , nos recompomos, e conhecemos uma nova pessoa e o ciclo reinicia, com aquela empolgação de antes, ou até maior.

Pequena lição deste parágrafo: Depois de uma relação, não é o fim do mundo. Pois depois de um grande amor, há sempre um novo grande amor. E sem comparação. Não se pode comparar o que fomos com o que somos, e todas as variáveis inclusas.

Mas eu me pergunto: Por que não podemos ser solteiros e felizes? Por que temos a pressão da sociedade, e mesmo nossa, de arranjar alguém, de ter alguém, de partilhar alguém com alguém?

O pior é que o que leva muita gente a ficar sozinho hoje em dia é o medo de ficar sozinho. O desespero de não ter alguém leva as pessoas a aceitarem qualquer um só para poderem estar com alguém. Inventam um amor perfeito onde só existem falhas e desconfianças, e chegam a preferir, conscientemente ou não, um amor coxo a viverem sozinhas. Mas é claro que a situação em algum momento fica insuportável, e tudo termina. E no final, quem queria tanto não estar sozinho, sozinho ficou novamente. E depois se pergunta porque é que não consegue ter ninguém...tisc, tisc.

A verdade é que existe uma única maneira de encontrar alguém em que o amor seja uma via de mão dupla. É aprendermos a amar a nós mesmos. Mesmo sozinhos, mesmo cheio de defeitos, aceitarmo-nos como somos e nos amarmos como somos. Suportarmo-nos! Suportar estar-se sozinho consigo mesmo não é fácil, entretanto quando conseguido, é extremamente satisfatório! Não haverá desespero em encontrar alguém com quem partilhar a vida, porque bastaremos para ela e a estaremos partilhando, queiramos ou não. É que estar solteiro não é a mesma coisa que estar sozinho ou solitário. É estranho, mas as pessoas preferem estar mais com pessoas confiantes. Juro! Aliás, com certeza conhecemos muitas pessoas que não estão solteiras, mas que no entanto não poderiam estar mais solitárias, certo? Pelamordedeus, sejamos capazes de ser felizes sozinhos.

Mas eu não estou aqui defendendo que todos vivam sozinhos, sem romance e deixando a sua alma gêmea a ver navios. Muito pelo contrário! Só estou a dizer que o amor é lindo, e estar solteiro idem. Porque aí que está a feliz ironia do amor. Exatamente quando estamos felizes no nosso canto é que todos começam a ver uma chama especial na gente, como se fossemos um farol a atrair a atenção de quem nos rodeia. Começam a nos achar pessoas interessantes, independentes, e quando menos esperamos, aparece alguém ansioso por querer conhecer a pessoa tão inteira que tivemos capacidade de nos tornar.

Pois. Quando estamos satisfeitos com o que somos há uma luz que brilha que só quem se encaixa nos nossos sonhos consegue perceber. E sem querer piscamos o olho de volta. :)

3 comentários:

Eva disse...

O que eu gostei deste

tisc, tisc

fez-me lembrar as histórias de quadradinhos (ou quadrinhos) da minha infância...

Céli disse...

Bem, eu cobro direitos autorais de pessoas que deliberadamente utilizam-se de suas capacidades, digamos, extraordinárias,para publicar meus sentimentos e pensamentos. Há leis implícitas no universo que regem atos como enfiar a mãozona no peito de alguém, ler seu coração e colocar online. Como? O MUNDO NÃO GIRA AO MEU REDOR??? Eu não sou a única a ... NARCISISTA? EU?? Preciso me recuperar dessa descoberta, depois eu te processo. Invasor.

Antônio Victor! disse...

O fato é como vc pode se enxergar.... =/
difícil ( pelo menos pra mim)
uhauhauha
em geral é dificil mesmo
bom, mas vamos procurando uma forma!
abrass!